26/11/2012

Sobre meu sumiço...


A vida é feita de ciclo, uns bons, outros ruins e alguns piores.

Passei por muita coisa nesse tempo que estive fora.

Passei por um casamento, cheio de amor no início, uma realização, com muitas dificuldades, pois na época meu marido estava desempregada, mas me esforcei, pequei mais aulas, meus pais ajudaram e fomos em frente.

Um princípio ruim, mas que teve muitos momentos bons e maravilhosos, pelo menos para mim. O início foi flores e cheio de expectativa... Mas pelo jeito nem tudo era do jeito que eu pensava....

No meio do caminho, brigamos, discutimos, mas sempre juntos, pelo menos de minha parte, sempre dando força, incentivando o melhoramento do parceiro. Hoje me pergunto se esse não foi o problema, que invés de cobrar, estava sempre tentando ajudar...


Tentamos ter um filho, o que demorou...

No meio tempo recebi uma proposta de me tornar coordenadora pedagógica, aceitei, será que foi aí que errei??? Não sei. Com o novo cargo veio novas responsabilidade, novas regras e novas cobranças no serviço, e com meu parceiro também, durante um ano aguentei um puxa puxa, para lados totalmente opostos, brigas se tornaram mais frequentes, e consequentemente meu estresse aumentou. E o que ganhei com isso? Um problema na coluna que me envergou literalmente...

Me afastei do serviço e comecei o tratamento, mas do meu parceiro não houve compreensão... Houve retidão, solidão e abandonou... No meio do caminho começo a desconfiar de uma gravidez.... e antes da confirmação vem a facada final...

Atrás de uma discussão, eu que sempre presei a lealdade acima de tudo, fui acusada de trair, de muitas outras coisas que nem me recordo, pois acho que certos assuntos devem ser deixados para trás, e com isso meu parceiro saiu de casa... Uma semana depois confirmo a gravidez e o informo, ele pede para conversar e   vou...

Conversamos e ele questiona se quer que ele volte, então paro e penso, CARALHO QUE ELE QUER QUE EU DIGA?

Viro e falo: SE VOCÊ QUISER VOLTAR VOCÊ VOLTA, MAS NÃO VOU DECIDIR O QUE VOCÊ TEM DE FAZER....

Vamos embora e NADA, realmente nada de interesse dele sobre a gravidez....

No início de setembro, sofro um sangramento e fico internada durante 4 dias, diagnóstico: PLACENTA INVERTIDA, devo ficar de repouso.... como estou afastada do serviço, continuo e curto minha gravidez, junto com meus pais, QUE DEUS OS ABENÇOEM, por seu apoio....

Em março deste ano nasceu minha luz, quem disse que o amor não tem limite, isso é verdade, pois com meu filho, morro e vivo por ele....

Meu antigo parceiro onde estava? Nem sei, só sei que em maio assinamos o divórcio, isso antes de ele alegar que não sabida da gravidez e nem sabia que o filho era dele, então disse se você quiser, faço o DNA, mas eu não pago...

E sem DNA, o divórcio foi feito e a pensão (que nunca vi a cara) foi estipulada...

Continuei com minha vida voltei as aulas, e me alegro com cada dia junto de meu filhote...

Mas pensa q acabou???? NÃO... No final de outubro, eu como internáutica que sou, estava no Face e dou de cara com o quê? Fotos, fotos do novo filho de meu ex... Daí paro e penso: DESDE QUANDO ELE ESTAVA ME TRAINDO???? Fontes "amigas", dizem que desde antes dele sair de casa, se ligo para isso? Sinceramente não. Ligo para a falta de caráter em assumir as coisas, e me falar que quer o fim, antes de iniciar algo novo, ligo para o NÃO LIGAR dele para com o nosso filho, ligo para o não pagar a pensão do mesmo, ligo para a falsidade e as acusações que sofri, ligo para o futuro que meu filho vai ter e o que vou responder quando perguntar por seu pai, para isso ligo, para o resto: jogar um casamento fora, ser desleal e infiel não ligo mais, pois sei que o mundo é redondo, não faço para os outros o que não quero que aconteça comigo....

Mas peço a Deus sabedoria para as respostas das perguntas que viram no futuro...