19/07/2008

Caieiras, 19 de julho de 2008, 00:45

Solidão acompanhada!

O som da tua voz me assombra
Tuas lembranças me vêem a mente
Mas tu não estás aqui
Te quero junto a mim, mas não estás

Te chamo o mais alto que posso
Mas não ouço resposta
Onde estarás tu, doce anjo de Ébano?

Caminhas pela noite afora
Mas nunca te recordas do coração que ansiosamente te espera dentro de casa
Caminhas como se não tivesse responsabilidade com nada
Mas a partir do momento que tomou meu coração
Tornastes dono e responsável por ele

Tu caminhas pelas vias
Sem ao menos olhar para trás, onde estou
Sempre correndo atrás de ti
Tentando entender o que faço pra te afastar
Não sei o que é!

Lágrimas correm em meu rosto
Somente a solidão dentro de meu peito me acompanha
Sozinha me acostumo a viver
Sozinha me acostumo a sorrir
Sozinha me acostumo a chorar
Pois prometeste estar sempre comigo
Mas nunca lá está

Lágrimas correm em meu rosto
Buscando no fundo tua presença
Mas tudo que encontro é SOLIDÃO
Pois você não está lá!

Penso ser então um adeus!
Mas você reaparece e novamente a esperança retorna
Porque não arranca meu coração de uma vez
Assim a dor seria uma só
Uma única vez!

Mas infelizmente
Ainda Te Amo
E sempre te amarei!
Com você tenho tudo,
Mas sempre estarei acompanhada da dor da solidão
Adeus meu anjo de ébano
E um dia esse adeus será eterno!